Plural como o universo

“Nunca amamos alguém

Amamos tão somente,

a ideia que fazemos de alguém.

É a um conceito nosso – em suma,

é a nós mesmos – que amamos.”

Bernardo Soares, heterônimo de Fernando Pessoa.

A exposição sobre Fernando Pessoa no Museu da Língua Portuguesa é maravilhosa! Fiz do meu sábado um momento incrível, inusitado, desabitual.

Anúncios

4 comentários

    • Oi Verônica, tudo bem? Que bom que você tem passado por aqui… Vale a pena ir, não perca! Fico feliz que você tenha começado a blogar… Alie seus maravilhosos desenhos que estão lá às palavras que você sabe muito bem colocar no papel… Beijo grande!

    • Oi Nathy! Que coincidência estarmos lá no mesmo dia! Bem que poderíamos ter nos esbarrado! Não sabia que você também passava por aqui… Seja muito bem-vinda! Espero que esteja tudo bem contigo. Beijo muito grande!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s