Abster-se do prazer e da dor – parte final

Para encerrar essa série de reflexões sobre o prazer e a dor, nada melhor que relembrar um filme muito querido: Cidade dos Anjos (EUA/1998), dirigido por Brad Silberling, com a participação do Nicolas Cage e Meg Ryan.

Foi esse filme que me chamou a atenção, pela primeira vez, sobre a questão das sensações. Lembro-me que o anjo lia Ernest Hemingway O velho e o mar para entender as sensações descritas pelo autor, ele também apreciava como se podia saborear uma fruta, o toque das mãos e depois até a sensação da água batendo no corpo, lógico que também as sensações do amor… Todas sensações de prazer, as quais ele não tinha acesso. Mesmo não tendo como desvencilhar a sensação de dor, fiquei com a impressão de que tudo que ele fez valeu a pena. Talvez também precise rever o filme.

Sei que esse filme é uma recriação de Asas do Desejo, filme alemão de 1988. (veja o trailer aqui!)

Bom, viver é sempre a melhor opção!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s